sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Combustão Humana Espontânea



Por mais de um século, já foi dito que pessoas podem de repente e inexplicavelmente explodir em uma bola de fogo. O fenômeno é conhecido como combustão humana espontânea (CHE) e tem sido descrito em muitos livros populares sobre mistérios e acontecimentos inexplicáveis.

Embora o termo “combustão humana espontânea” seja bastante recente, esta era uma preocupação rara, mas real para muitos em 1800. Na verdade, há quase uma dúzia de referências a pessoas explodindo em chamas na ficção pré-1900. O exemplo mais famoso é o do romance de Charles Dickens “Bleak House”, de 1853, no qual um personagem pega fogo. O fenômeno também pode ser encontrado nas obras de Mark Twain, Herman Melville, Washington Irving e outros. Nos tempos modernos, a CHE já apareceu em filmes e em programas de televisão, incluindo a famosa série de ficção científica “Arquivo X”, e é ainda, de alguma forma, o superpoder de Johnny Storm, o Tocha Humana da história em quadrinhos “Quarteto Fantástico”.



Teorias sobre a combustão espontânea




Incêndios não costumam começar por conta própria. Quando os investigadores procuram a causa dos incêndios florestais, não assumem que a chama acendeu a si mesma. Em vez disso, eles costumam suspeitar que um campista descuidado ou um raio a tenham causado. No entanto, muitas coisas podem se auto-inflamar sem exposição a chamas, sob certas circunstâncias – entre estas substâncias estão o pó de carvão, pilhas de compostagem e trapos usados sujos de óleo.

Mas essa é uma questão totalmente diferente de afirmar que as pessoas podem de repente explodir em chamas, sem motivo aparente. Não há dúvida de que corpos podem queimar. Crematórios diariamente reduzem o corpo humano a cinzas no curso de algumas horas. O mistério da CHE está nas circunstâncias supostamente estranhas sob as quais as vítimas “explodem”.

Normalmente, conta a lenda, não há nenhuma fonte óbvia de ignição, como fogueiras nas proximidades, que possam atear fogo à pessoa. Além disso, as vítimas são mortas, e não, por exemplo, apenas parcialmente queimadas em um braço ou uma perna. A CHE é fatal. Alguns afirmam que a queima muitas vezes parece começar no peito ou na região do estômago, deixando os restos terríveis de pernas e mãos intactas. Outros afirmam que os móveis e pisos sob e em torno das vítimas (incluindo até mesmo suas roupas) permanecem misteriosamente não queimados.


Um olhar mais atento




Algumas dessas reivindicações populares são simplesmente erradas. Por exemplo, há muitas fotografias de supostas vítimas que mostram claramente extensa queima e danos ao ambiente e às roupas da pessoa. Também é importante entender um pouco da ciência forense do fogo: muitos incêndios são autolimitados, isto é, eles se apagam naturalmente, porque ficam sem combustível. Embora o público muitas vezes veja queimadas descontroladas engolindo completamente quartos e prédios inteiros, os incêndios são imprevisíveis. É bem possível, por exemplo, que apenas um tapete, cama ou sofá peguem fogo, sem que este se espalhe para o resto do cômodo. Como normalmente o fogo queima para cima em vez de para fora, não há nada de paranormal ou estranho sobre encontrar uma vítima queimada até a morte em uma parte de um quarto, enquanto o resto do lugar tem poucos danos.

E sobre a fonte de ignição? O que poderia levar pessoas a, de repente, explodir em chamas? Um século atrás, a causa foi atribuída à falta de controle e até mesmo à ira de Deus: a maioria das vítimas eram supostamente bêbados que haviam saturado suas celas com álcool. Na década de 1970, uma explicação quase freudiana entrou em voga sugerindo que os estados emocionais de depressão de uma pessoa pudessem de alguma forma fazer com que ele ou ela pegasse fogo. Outros sugeriram que as manchas solares, tempestades cósmicas, bactérias intestinais produtoras de gás ou mesmo um acúmulo da suposta “energia vibracional” do corpo poderiam ser os culpados.

No entanto, todas estas explicações são pseudocientíficas e não há nenhuma evidência de qualquer uma delas. Nossos corpos são compostos por cerca de 60% a 70% de água não inflamável, e o simples fato é que não existe um mecanismo físico ou médico pelo qual uma pessoa poderia possivelmente entrar em combustão. Se as pessoas realmente pudessem simplesmente explodir de repente sem estar nem remotamente perto de uma chama, provavelmente haveria exemplos de eventos do tipo enquanto a vítima estava nadando, em uma banheira, ou até mesmo mergulhando. No entanto, esses casos não existem.


Casos da Vida Real




Apenas cerca de uma dúzia de supostos casos de CHE da vida real foram investigados detalhadamente. O pesquisador Joe Nickell analisou muitos casos “inexplicáveis​​” em seu livro “Real-Life X-Files” e descobriu que todos eram muito menos misteriosos do que havia sido sugerido. A maioria das vítimas eram pessoas idosas, sozinhas e estavam perto de chamas (cigarros, velas ou lareiras) quando morreram. Vários foram vistos pela última vez consumindo álcool e fumando.
Humanos podem realmente entrar em “combustão espontânea”?

Se a pessoa está dormindo, embriagada, inconsciente, doente ou incapaz de se mover ou apagar as chamas, as roupas da vítima podem agir como um pavio (a maioria das pessoas passa a maior parte do tempo envolto em roupas inflamáveis feitas de algodão e misturas de poliéster). As chamas recorrem à gordura do corpo (um óleo inflamável que fica muito perto da superfície da pele, que se soma à roupa em chamas) para alimentar o fogo.

Há também uma condição médica rara chamada síndrome de Stevens-Johnson que, em casos extremos, pode ser confundida com combustão espontânea. A doença da pele, que pode ser desencadeada por uma reação tóxica por medicamentos, incluindo antibióticos e analgésicos, provoca o aparecimento de queimaduras graves e bolhas, e pode ser fatal.




Se a CHE é um fenômeno real, por que ela não aconteceria com mais frequência? Há 7 bilhões de pessoas no mundo e ainda não vimos relatos de pessoas explodindo em chamas enquanto caminhavam pela rua. Ninguém jamais foi visto, filmado ou gravado em vídeo (por exemplo, uma câmera de vigilância) explodindo em chamas de repente. Isso sempre acontece a uma única pessoa deixada sozinha perto de uma fonte de ignição.

E se algum mecanismo natural (mas desconhecido) faz com que a combustão ocorra, por que isso só ocorre em seres humanos? Por que não vacas, cães, elefantes, pássaros ou outros animais, de repente, de forma aleatória e inexplicavelmente, explodem em uma bola de fogo de vez em quando? Mesmo que o fenômeno seja extremamente raro, com milhares de milhões de animais no planeta, estatisticamente devemos esperar também que milhares deles explodam todos os dias ao nosso redor.

Embora não exista nenhuma evidência científica de que a CHE é real, de vez em quando um caso vira notícia quando os policiais não conseguem encontrar outra explicação. Em 2011, um médico legista concluiu que Michael Faherty, um irlandês idoso que residia sozinho e que queimou até a morte em sua casa em dezembro de 2010, poderia ter sido vítima da combustão espontânea. Embora o corpo de Faherty tenha sido encontrado a poucos metros de distância de uma lareira acesa, o legista decidiu que ela não tinha sido a fonte do fogo que matou Faherty. 


7 Casos de Combustão Espontânea

7 – Mary Hardy Reeser (1951)
Em 1951, na Flórida, os restos carbonizados de Mary Reeser, de 67 anos, foram encontrados na cadeira em que ela estava sentada, com nada mais fora o crânio, parte do pé esquerdo e o osso da coluna. Mesmo com o corpo quase completamente incinerado, houve pouco dano à sala – nada esperado para um incêndio típico.
O chefe de polícia local, J. R. Reichet, enviou uma caixa com evidências para o FBI, junto com uma nota: “Pedimos informações ou teorias que possam explicar como um corpo humano pode ser tão destruído, o fogo confinado a uma área tão pequena e tão pouco dano à estrutura do prédio, e a mobília do quarto nem mesmo chamuscada pela fumaça”. O FBI respondeu com a teoria do pavio – um cigarro gerou o fogo.

6 – John Irving Bentley (1966)
John Irving Bentley era um físico de 92 anos da Pensilvânia, encontrado morto em seu banheiro, queimado até a morte. A única sobra do corpo de Bentley foi a metade inferior da perna direita, com o pé ainda usando um chinelo. O corpo queimou tanto que as sobras foram parar no porão, embaixo do banheiro. Um teórico acredita que as cinzas do cachimbo de Bentley caíram nas suas roupas e os fósforos no bolso ajudaram no resultado. O que parece ser um jarro de água quebrado estava na banheira, sugerindo que Bentley tentou apagar o fogo, mas morreu antes de conseguir.

5 – Henry Thomas (1980)
Henry Thomas, de 73 anos, foi encontrado na sala de sua casa em Wales quase que completamente incinerado – exceto pelos seus pés calçados e pernas abaixo dos joelhos, e o crânio. Metade da cadeira onde estava também foi destruída, e o calor derreteu o controle da televisão.
O policial John E. Heymer comentou que “a sala estava inundada por uma luz laranja, que vinha das janelas e de uma lâmpada. Essa luz é o resultado da luz do dia e da eletricidade sendo filtradas por gordura humana evaporada e condensada nas superfícies. O restante da casa estava completamente intacto”. A equipe forense afirmou que a morte foi resultado do efeito pavio, sugerindo que Thomas caiu na lareira e sentou-se de novo. Entretanto, Heymer discorda, dizendo que o oxigênio na sala fechada não iria permitir o efeito, e ainda lembrou-se das bordas da calça da vítima – “que pareciam queimadas por um laser”.

4 – George Mott (1986)
Apenas um crânio encolhido e uma costela foram encontrados depois que George Mott, um bombeiro nova-iorquino de 58 anos, queimou até virar cinzas, junto com a cama onde estava deitado. Investigadores lançaram a ideia de que um arco elétrico e um vazamento de gás tinham causado as chamas. Mott era conhecido como um fumante e bebedor pesado, e não estava com a máscara de oxigênio que costuma usar.

3 – Jeannie Saffin (1982)
Um dos poucos casos de combustão espontânea em que uma testemunha esteve presente é o de Jeannie Saffin, uma mulher de 61 anos com idade mental de seis. Saffin estava sentada com o pai, de 82 anos, na casa deles, em Londres, quando, de acordo com o testemunho do homem, ele percebeu de relance um raio de luz.
Quando se virou para a filha, ele a viu coberta de chamas mas sem movimento ou qualquer tentativa de apagar o fogo. Ele tentou apagar o fogo, machucando as mãos no processo. Jeannie sofreu queimaduras de terceiro grau na parte superior do corpo, mas morreu uma semana depois, enquanto estava no hospital.

2 – Michael Faherty (2010)
O irlandês Michael Faherty, de 76 anos, foi encontrado morto, com a cabeça perto da lareira, em sua sala. Os danos no local estavam limitados ao teto acima de sua cabeça, o chão logo abaixo, e o corpo, totalmente incinerado. A polícia, entretanto, não acreditou que a lareira foi a causa do incêndio. O coronel afirmou que “esse fogo foi investigado e eu fico com a conclusão de que isso entra na categoria de combustões humanas espontâneas, para a qual não há explicação adequada”. Outros acreditam que as cinzas do fogo tenham sido responsáveis.

1 – Robert Bailey (1967)
Em um estranho caso de combustão espontânea em Londres, um passageiro de ônibus avistou chamas azuis na janela de um apartamento superior e presumiu ser um jato de gás. A testemunha chamou o corpo de bombeiros, e Robert Bailey, um homem de rua, foi encontrado morto nas quentes escadarias do prédio. Um bombeiro afirmou que as chamas azuis – extinguidas com uma mangueira – estavam vindo de uma fenda no abdome de Bailey, que ainda estava vivo quando começou a queimar.

3 comentários:

  1. Existe algum artigo cientifico sobre isso que poderiam sugerir?

    ResponderExcluir
  2. Existe algum artigo cientifico sobre isso que poderiam sugerir?

    ResponderExcluir
  3. If you want your ex-girlfriend or ex-boyfriend to come crawling back to you on their knees (even if they're dating somebody else now) you must watch this video
    right away...

    (VIDEO) Win your ex back with TEXT messages?

    ResponderExcluir

Dicas e sugestões serão bem vindas. Fique à vontade para comentar