domingo, 17 de fevereiro de 2013

O Misterioso Túmulo dos Chase

Chase_Crypt_1Web.jpg (400×300)



No século 18, o Walronds, uma rica família rica de plantadores construiram um Mausoléu  escavado na rocha em Christ Church, Barbados. Ela foi selada com uma porta de mármore maciço. O primeiro membro da família a ser enterrado lá foi a Sra. Thomasina Goddard, em 1807. Um ano mais tarde a capela foi comprada pela família Chase –  que comprou para enterrar duas filhas em 1808. Quando a tumba foi aberta novamente em 1812 para receber o corpo do pai, Thomas Chase, os caixões das meninas estavam de pé, de cabeça para baixo. Não havia sinal de arrombamento. A Tumba havia ficado lacrada desde a última abertura em 1808, o que haveria alterado as posições dos caixões? 
Em 1816, quando o túmulo foi novamente aberto para o  enterro de um parente os caixões dos Chase haviam sido novamente mexidos. Os caixões estavam encostado de pé contra a parede da capela. O boato correu a região e  no momento do funeral seguinte, oito semanas depois, uma enorme multidão apareceu para a cerimônia.  Embora o túmulo fosse selado, os quatro caixões persistiram em ficar em pé. O conto sobre a maldição dos Chases começou a colocar a população em pânico, a ponto que o governador de Barbados, Lord Combermere,  deu uma ordem: lacrar a tumba e lacrar os caixões com lajes dentro da mesma. Em 1819, ele supervisionou o ordenado. Depois disso ainda mandou soldados montarem guarda na frente do mausoleu para que nenhum espertinho invadisse e colocasse a população em pânico novamente.  O tempo passou e relatos de ruídos vindos de dentro da tumba começaram a surgir. Combermere irritado visitou o túmulo  novamente. Mandou remover os seus selos, que estavam intactos. Mas para sua surpresa os caixões de chumbo foram  removidos outra vez. Apenas o pequeno o caixão, de madeira da Sra. Goddard ainda estava lá, no canto. Os demais ninguém sabe que fim tiveram.

O mistério ficou sem uma explicação adequada. Os escravos não poderiam ter mudado os caixões sem deixar rastro. Não houve evidência de inundação. O túmulo ficou trancado o tempo todo e vigiado, como isso poderia ter ocorrido? Terremotos dificilmente teriam abalado um túmulo sem perturbar outras pessoas na área circundante. Depois de todos os distúrbios inexplicáveis, foi decidido que a tumba permanecesse vazia de seus ocupantes e só fossem realocados lá 200 anos depois. Porém, ele permanece vazio até hoje.


Fonte: Ahduvido

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dicas e sugestões serão bem vindas. Fique à vontade para comentar